terça-feira, 24 de novembro de 2015

RUSSIA, A CRIMÉIA, A TURQUIA E A VINDA DO ANTICRISTO



Momentos atrás, um grande incidente geopolítico veio à tona quando as notícias de que um F-16 turco abateu o que foi inicialmente dito ser um avião de guerra não identificado perto da fronteira com a Síria depois que o mesmo violou o espaço aéreo da Turquia na terça-feira, mas a nacionalidade da aeronave derrubada não estava imediatamente clara.

Segundo a Reuters, o F16 turco alertou o caça repetidamente sobre as violações do espaço aéreo antes de derrubá-lo.

Filmagens da emissora privada Haberturk TV mostraram um avião de guerra caindo em chamas em uma área de floresta e uma longa coluna de fumaça que se arrastou atrás dele. O avião caiu na área conhecida pelos turcos como “Turkmen Mountain” no norte da Síria, perto da fronteira turca, disse Haberturk.

Minutos depois, a lira turca (moeda) afundou como uma pedra enquanto os ativos de risco em toda a Europa caíram quando a presidência turca confirmou que, como muitos esperavam, o jato era um russo Su-24.

Para ter certeza, a Turquia afirma que tentou avisar o avião repetidamente.

PUTIN, A CRIMEIA, GOGUE, MAGOGUE E A VINDA DO MESSIAS

Os recentes acontecimentos na Crimeia continuam a alimentar as chamas do fervor escatológico de muitos cristãos e agora também dos judeus.
Segundo as profecias de um rabino, quando a Rússia ocupasse a Crimeia ouvir-se-iam os passos do Messias.

A POSSÍVEL ORIGEM DE MAGOGUE

GUERREIROS CITAS
Originários daquilo que é hoje o sul do Irão, os citas era uma tribo de homens que montavam cavalos e que habitavam em muito do território que hoje compõe a Geórgia, a Arménia, e parte das regiões do sul da Ucrânia e da Rússia por cerca de 1300 anos, desde o 7º século a.C. até ao 4º século d.C.

A costa Norte do Mar Negro era completamente cita.

Mas o que há de tão especial com os citas?

O famoso historiador Flávio Josefo, mundialmente respeitado e conhecido pela sua obra “As Guerras dos Judeus”, tinha uma interessante teoria acerca dos citas e das terras onde eles viveram.

Segundo as suas conclusões, aquelas terras onde eles habitaram eram Magogue, tal como lemos na Bíblia sobre Gogue e Magogue (Ezequiel 38 e 39).

É essa agora pois a razão da efervescência recente entre os estudiosos dos sinais apocalípticos, logo que os acontecimentos na Ucrânia e Crimeia começaram a despertar a atenção mundial. Para muitos estudiosos, a expectativa de estarmos a viver nos “últimos dias” é tão grande, que este é mais um grande sinal do fim, talvez o princípio do fim, ao identificarem Putin com o príncipe de Gogue, o “rei do Norte.”

Para muitos estudiosos das profecias de Ezequiel 38 e 39, Gogue é o príncipe de Rosh, ou o presidente de Rosh, pelo que, será provavelmente o presidente da Rússia, uma vez que Rosh era um dos antigos nomes dados à Rússia moderna.

A leitura destes textos esclarece-nos sobre quem virá junto com Gogue: a Pérsia, ou seja, o actual Irão. Nada para admirar nos dias de hoje, em que há uma forte aliança política e militar entre estes dois países. Segundo Ezequiel 38 e 39, eles virão saquear a Terra Santa, provavelmente por causa das incomensuráveis riquezas de petróleo e gás natural ali recentemente descobertas. Segundo os textos, eles virão também para tentar destruir os judeus e enfrentar o Anticristo que entretanto terá feito uma “aliança” com Israel (Daniel 9:27).

Haverá provavelmente uma explosão nuclear em Magogue (Ezequiel 39:6) e a vinda de um poderoso exército de 200 milhões vindos do Oriente (China).PROFECIA DO RABINO VILNA GAON

vilna

Mas não são apenas os cristãos “apocalípticos” a “efervescer” com estes sinais proféticos vindos destas regiões do Norte de Israel. Neste fim de semana a imprensa “haredi” (religiosa ortodoxa) em Israel noticiou que o rabino-mor do tribunal rabínico de Jerusalém, Moshe Shternbuch, anunciou aos seus discípulos que chegaram até nós os tempos do Messias. E a fonte desta análise profética é o próprio expoente máximo de sempre entre os sábios judeus, o próprio Vilna Gaon, denominado “o génio de Vilnius.”
VILNA GAON, “O GÉNIO”

Segundo Shternbuch, ele é o portador de um segredo rigorosamente guardado ao longo de séculos, uma profecia oriunda do próprio rabino Gaon, pouco antes da sua morte, desde o 18º século até aos dias de hoje: “Quando ouvirem que os russos capturaram a cidade da Crimeia, devereis entender que os tempos do Messias começaram e que os Seus passos estão sendo escutados. E quando ouvirdes que os russos chegaram à cidade de Constantinopla (atual Istambul), devereis vestir as vossas roupas de Sábado e não as tirar, porque isso significa que o Messias (o anticristo) virá a qualquer minuto.”

Segundo a interpretação do rabino Moshe Shternbuch, estas poderão ser as “campainhas da redenção” que anunciam a chegada de algo ou de alguém importante...

Só Deus sabe. Uma coisa é certa: a cada dia que passa os sinais vão-se avolumando, e só os mais cépticos ou distraídos não conseguem perceber estes sinais dos tempos…
Fonte: Com informações de Dionei Vieira e Shalom Israel
Via: https://blogaultimatrombeta.wordpress.com/

domingo, 22 de novembro de 2015

E SE FOSSE A LAMA DA PETROBRAS NA PRAIA DE IPANEMA?


EspiritoSanto
Impacto da barragem destruída gera uma Escola Base às avessas; imprensa brasileira perde ímpeto acusatório quando casos emblemáticos envolvem as elites econômicas
Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho)
A maior catástrofe ambiental do século 21 no Brasil ganha novo ícone com a chegada da lama da Samarco (Vale, BHP) no Oceano Atlântico. Mas quem se importa com a avalanche gosmenta de resíduos na Praia de Regência, no Espírito Santo? Em um litoral que o biólogo André Ruschi define como “a Amazônia marinha do planeta“? Pouco após a barragem da mineradora se romper, no dia 5, houve quem perguntasse, diante da desatenção inicial da grande imprensa: “E se fosse com a Petrobras?” Cabe agora atualizar a pergunta: “E se essa lama estivesse chegando na Praia de Copacabana? Ou Ipanema, Leblon, Barra? Ganharia a capa de Veja?”
As revistas seguem alienadas. Tivemos três fins de semana após o crime socioambiental, ocorrido no dia 5 de novembro. Nem por isso o tema mereceu alguma manchete de Veja, Época ou IstoÉ. Claro que o tema está lá, mas de forma protocolar. Os jornais até acordaram um pouco, diante da viralização do tema na internet. E estão cumprindo (ainda que em fragmentos, com peças isoladas de um quebra-cabeças) parte de sua função. As nossas revistas panfletárias, porém, não estão interessadas em contar à nossa classe média distraída – mas contar com todas as letras – que estamos diante de um dos episódios mais emblemáticos deste nosso capitalismo sôfrego, particularmente inconsequente. E violento.
Sim, as mineradoras fazem estragos por todo o mundo. Inclusive a Vale e a BHP, as maiores ao lado da Rio Tinto. O que não nos impede de constatar que as nossas publicações tipicamente vestais (essas que fazem capas sobre corrupções específicas de grupos políticos específicos) estejam tratando o caso de Mariana de forma secundária, como se fosse um detalhe – um desastre renovável. A Globo multiplicou os minutos sobre as mortes na França e parece sem fôlego para manter a catástrofe brasileira no noticiário. Mas não é só isso. Há um problema de postura. Não veremos o William Waack espumando por causa dos povoados arrasados e das espécies extintas. Não veremos analistas econômicos conectarem as vidas destruídas de pescadores (ou camponeses) à doce vida dos sócios da Vale.
E, portanto, no que se refere ao ambiente, o jornalismo brasileiro ganha a sua Escola Base. Mas às avessas: por falta de acusação, por falta de ímpeto de não somente constatar a responsabilidade da Samarco (Vale, BHP), mas constatar com a capacidade exclamativa que demonstra em outras situações. E sem que haja esforço de costurar uma narrativa maior, de questionar um sistema predador, que libera nossos recursos naturais para o saque bilionário por um punhado de empresas, livres para acumular (com fartas isenções fiscais) e poluir. Sem que se nomeie com todas as letras o partido – o PMDB – que controla o setor da mineração no país, amplamente financiado pelas próprias mineradoras. Quantas vezes o leitor ouviu o nome do PMDB em meio a essa lama toda?
DEMONIZAÇÕES SELETIVAS
A Escola Base foi aquele caso em São Paulo em que donos de uma escola infantil foram acusados de abuso sexual. A imprensa foi histérica a respeito (imaginem se o acusado fosse o dono de uma rede gigantesca de escolas privadas) e teve de fazer, tempos depois, um mea culpa: eles eram inocentes. Um mea culpa que simplesmente não é feito em relação aos linchamentos diários, espalhados por todo o país, de acusados – pobres, negros – de outros tipos de crime. A imprensa brasileira ainda é protagonista de espetáculos medievais de demonização de indivíduos, satanizações de acusados que servem também para justificar o tratamento excludente a grupos sociais inteiros. (A foto de Marcelo Carnaval, em O Globo, ilustra esse apartheid.) “Eles que não invadam nossa praia”.
MarceloCarnaval
E, no entanto, essa imprensa não se move (ou se move em círculos, sem ser incisiva) quando os suspeitos ou criminosos têm colarinho branco, CNPJ e gigantescas equipes de marketing. Briga com o porteiro, nunca com o patrão. Nossa elite não será algemada nem tratada como escória. Nem que seja ela a responsável por poluição ambiental e roubo de terras, destruição de biomas e especulação financeira assassina, nem que patrocine a crise, seja ela mesma a crise, nem que ela seja notoriamente atrasada (ou mais despudorada) em relação às demais elites do capitalismo mundial – porque ainda mais cínica e impune. Os cárceres estarão cada vez mais entupidos dos pequenos traficantes de drogas. Teremos 1 milhão de presos, 1 milhão de inimigos convenientes.
Estamos no país onde a ministra da Agricultura vai à Ásia e se deslumbra com mármores e tapetes, em uma missão oficial para promover o agronegócio brasileiro, esse agronegócio primo da mineração predadora, ambos a esmagar as florestas restantes, os povos indígenas e as populações tradicionais. E lá estava ela na Índia, toda alegre e intensa, vendendo as supostas maravilhas de uma nova fronteira agrícola, a do Matopiba (Maranhão-Tocantins-Piauí-Bahia), onde a família Marinho tem terras e onde o Cerrado ganha sua destruição diária, com o aval de governo e oposição, sem holofotes, sem proteção legal, sem lama, sem espetáculo – sem uma narrativa, uma cobertura diária que ao menos coloque em dúvida esse modelo, essa lógica.
katiaabreutajmahal
Uma das coisas mais curiosas da imprensa brasileira a serviço da plutocracia é que ela não se dá conta de nossos rombos socioambientais nem quando o PT também deixa ali sua assinatura, nem quando o governo federal que fustigam tenha papel importante nessa destruição. A não ser que pretendam desprestigiar uma estatal. Porque o que querem é apenas colocar outro grupo político no poder, uma espécie de política de substituição de destruições, de preferência sem algum verniz compensatório, alguma inclusão em meio à implosão. É por isso que as próximas capas da Veja vestirão como presidiários apenas aqueles que a revista julgar convenientes; nunca os plutocratas com pedigree. Latifundiários da comunicação a minimizar a dor de multidões e a sacralizar o ódio das minorias. Em nome de seus pais, de seus filhos e apesar da lama no mar do Espírito Santo.
LEIA MAIS:
A lama da Samarco e o jornalismo que não dá nome aos bois
De Paris ao Rio Doce: do horror político ao horror econômico

domingo, 15 de novembro de 2015

Chegada de refugiados muçulmanos muda cidades do interior do Brasil


 Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/09/1684070-chegada-de-refugiados-muculmanos-mudam-cidades-do-interior-do-brasil.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.
Treze cidades paranaenses têm mesquitas e nove dispõem de mussalas (espécie de capela). Metade foi aberta nos últimos cinco anos, fenômeno impulsionado pela diáspora oriunda de 18 países. Em geral, são pessoas impedidas de entrar na Europa que veem no Brasil uma alternativa.


Mauri König/Folhapress
Muçulmanos posam para foto no portal da cidade, em Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná
Muçulmanos posam para foto no portal da cidade, em Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná

A maioria entra no país com pedido de refúgio, nem sempre reconhecido pelo governo brasileiro por falta de comprovação de que a saída do país de origem se deu por perseguição política, étnica, religiosa ou conflito armado. Mas, como têm emprego e endereço fixo, vão tendo o visto de permanência renovado.
Norteado pelo abate halal, esse novo fluxo migratório deu ares cosmopolitas a cidades de vocação rural. A degola de frangos exportados para países islâmicos só pode ser feita por muçulmanos, e empresas especializadas os recrutam ainda em São Paulo ou Brasília, por onde eles costumam entrar no país.

O salário médio é de R$ 1.100 por mês. A maioria trabalha para mandar dinheiro para os parentes no país de origem, mas a alta do dólar reduziu essas remessas ao mínimo. Quase todos vivem em casas ou alojamentos cedidos pelas empresas contratantes.
Com trajes típicos, esses estrangeiros estão se incorporando à paisagem urbana, embora a interação social com os moradores mais antigos se restrinja a espaços públicos ou ao comércio.
Isso acontece mesmo em cidades como Marechal Cândido Rondon, onde há 190 deles, de dez nacionalidades.


RECEPTIVIDADE
O contato com os moradores acontece ocasionalmente. Mas nunca houve nessas cidades do Paraná episódios de xenofobia ou preconceito. Há até muita receptividade.
"Quando há dificuldade para comprar algo, as pessoas ajudam", diz Muhammad Imran, supervisor do abate halal na Copagril em Marechal Cândido Rondon.
Há dez anos, os muçulmanos dessa cidade, no oeste do Paraná, resumiam-se a filhos dos poucos desembarcados nos anos 60. Agora, a cidade, onde 80% dos 47 mil habitantes têm ascendência alemã, recebe gente de Síria, territórios palestinos, Bangladesh, Líbano, Senegal, Egito, Gâmbia, Serra Leoa, Guiné-Bissau e Paquistão.
Uma mesquita foi aberta em 2014 para atender à comunidade islâmica. A sala alugada é modesta, mas acolhe quem trabalha no abate halal no frigorífico da Copagril.
Entre eles está Mohammad Arabi Sheiban, 27, cuja família se dispersou por quatro países após o início da guerra civil na Síria, em 2011.
Sheiban é um dos 2.077 sírios a quem o Brasil concedeu asilo desde então, conforme dados do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), ligado ao Ministério da Justiça. Os sírios já representam 25% dos refugiados no Brasil.
Nesse grupo estão ainda o irmão de 17 anos de Sheiban, que chegou de Damasco há seis meses, e Mohammad al- Nader, que vive na cidade de Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, com a mulher, Duaa, e o filho, Mammun, 2.
Mohammad era comerciante de frutas em Quneitra, até o regime do ditador Bashar al-Assad começar a perseguir seus opositores na cidade. A mãe sofreu um aborto na prisão; dois tios, um irmão e o sogro acabaram presos de forma arbitrária; um cunhado, dois primos e outro irmão morreram na cadeia. Ele temia ser o próximo.
Em Francisco Beltrão, Mohammad deu sorte de morar ao lado da agente educacional Zineide Francisco Vieira Vedois, 48, que "adotou" Duaa como filha. "Eles não tinham nada, só um colchão e a roupa do corpo", diz. Com uma vaquinha entre amigos, ela conseguiu comprar comida e mobiliar a casa deles.
Hoje, Zineide não passa uma semana sem visitá-los para ver se precisam de algo.
Em Francisco Beltrão, de 85 mil habitantes, a mesquita foi inaugurada em março de 2014. A comunidade islâmica é formada por 80 pessoas, a maioria empregada no frigorífico da Sadia, caso de Mohammad. São oriundos ainda de Bangladesh, Paquistão, Marrocos e Somália. Também há alguns árabes e brasileiros convertidos ao islã.
Também no sudoeste do Estado, a cidade de Dois Vizinhos tem uma comunidade de 150 pessoas vindas de Síria, Iraque, Jordânia, Líbano, Guiné-Bissau, Senegal, Angola, Sudão, Moçambique, Paquistão, Afeganistão e territórios palestinos e da Caxemira.
Emancipada há 54 anos, a cidade já tinha raízes cosmopolitas. Primeiro chegaram os gaúchos de ascendência italiana, depois os alemães de Santa Catarina, os poloneses das colônias mais ao sul e os japoneses do norte do Estado. Juntos, fizeram da cidade de 36 mil habitantes uma campeã na produção de frangos.
A alta nas vendas para o Oriente Médio nos anos 80 levou a Sadia a adaptar a planta local para atender aos países islâmicos. E o fenômeno migratório foi se dando na intensidade das exportações.
Pessoas de 13 nacionalidades se incorporaram nos últimos dez anos aos muitos sotaques que deram à cidade o título de capital nacional do frango, com o abate de 574 mil aves por dia, líder na América Latina. Há, ainda, 15 brasileiros convertidos ao islã. A maioria trabalha no abate halal no frigorífico da Sadia, onde há uma mussala

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Por que o Leite Cru é Perseguido se é Infinitamente Mais Seguro?



Como, provavelmente, você somente ficou ciente a partir de agora, há uma guerra sendo travada contra o leite cru. Isso nada mais é do que uma agressão inconstitucional em um dos seus direitos mais básicos, ou seja, o seu direito de escolher o que você quer comer e beber, e uma das desculpas usadas para defender a perseguição violenta daqueles que ousam vender este alimento saudável é que o leite não pasteurizado (cru) põe em perigo a saúde humana.
Mas, será que o leite cru é realmente uma grande fonte de doenças transmissíveis por alimentos?
NÃO de acordo com dados do próprio governo dos EUA!
O Chefe de Segurança Alimentar e ex-advogado da Monsanto, Michael Taylor tem defendido as táticas de arma em punho da Food and Drug Administration (FDA) contra os produtores de leite cru, nomeando a campanha como “um dever da saúde pública.” Além disso, a nova Lei de Modernização da Segurança Alimentar, que foi promulgada no início deste ano, concede ao FDA extraordinários novos poderes para deter qualquer alimento que a agência suspeite ser inseguro, tenha motivos para suspeita ou não. O próprio Taylor declarou que o novo foco da agência será a prevenção de surtos de intoxicação alimentar, para não ter que responder por isso após o fato.

Dados do Governo Comprovam a Segurança do Leite Cru
Uma pesquisa realizada pelo Dr. Ted Beals, MD, apresentada na edição do verão 2011 da Wise Traditions, a revista trimestral da Weston A. Price Foundation mostra que você tem aproximadamente 35.000 vezes mais probabilidade de ficar doente por ingerir outros alimentos do que com o leite cru! Estatisticamente, você também é mais propenso a se ferir quando se dirigi à fazenda para pegar seu leite cru do que adoecer por tê-lo bebido.
A pesquisa do Dr. Beals mostra que entre 1999 e 2010, houve uma média de 42 casos da doença por ano, atribuídos ao leite cru, incluindo nesse número os casos “confirmados” e os “presumidos”.
A Weston A. Price Foundation escreve:

Finalmente temos acesso aos números que precisamos para determinar o risco de consumir leite cru em uma base por pessoa” … Esses dados vem de uma pesquisa feita em 2007 pelo FoodNet do Centro de Controle de Doenças (CDC), onde constata que 3,04 por cento da população consome leite cru – ou cerca de 9,4 milhões de pessoas, com base no censo de 2010 – Este número pode, de fato, ser maior em 2011, pelo fato do leite cru estar crescendo em popularidade. Por exemplo, a venda de leite cru aumentou 25 por cento na Califórnia em 2010, enquanto a venda de leite pasteurizado caiu 3 por cento.

Em seu relatório, Dr. Beals escreveu:
Do ponto de vista de um profissional da saúde pública nacional, com base em um total estimado de 48 milhões de doenças transmitidas por alimentos a cada ano [de todos os alimentos]… não há justificativa racional para chamar a atenção sobre o leite cru, que pode estar associado a uma média, máxima, de 42 casos de doença entre os mais de nove milhões de pessoas (cerca de 0,0005 por cento) daqueles que optaram por beber leite em sua forma fresca não processado.
… O consumo de qualquer alimento tem algum risco de doença ou reação adversa. E a consequência de se basear as políticas públicas nas terríveis experiências pessoais será a proibição de todos os alimentos possíveis, e não seremos mais capazes de participar de qualquer atividade.

Se isso não for motivo de preocupação, eu não sei o que é. Estas estatísticas são a prova viva de que a guerra contra o leite cru não pode estar objetivando a sua segurança alimentar ou a proteção da sua saúde contra uma remota real ameaça…
A indústria de laticínios convencionais, percebendo que um número crescente de consumidores está reconhecendo os benefícios da segurança e saúde do leite cru, está agora redobrando seus esforços para se certificar de que as vendas do leite cru não se expandam. Se o leite cru realmente pegar, você pode imaginar que a indústria de laticínios simplesmente seguiria a tendência e começaria a produzir produtos naturais para atender a demanda. Mas isso seria praticamente impossível pela maneira como suas fazendas superlotadas são exploradas. Seu negócio depende da pasteurização, assim nada vai parar seus lobistas poderosos em convencer as agências governamentais para manter a proibição de leite cru em pleno vigor.

E é por isso que continuo vendo ataques armados que ocorrem em fazendas orgânicas.
Um desses casos é o do fazendeiro Dan Allgyer, um Amish, que foi pego em uma operação policial da FDA no início deste verão, depois que a FDA colocou um espião no centro de distribuição da produção local, onde ele fornece seu leite cru há dezenas de anos. Sua fazenda foi invadida belicosamente e depois o Departamento de Justiça, a pedido da FDA, entrou com uma ação no Tribunal Distrital Federal para obter uma injunção proibindo-o do transporte e venda de leite cru em todo o estado.

Diferenças entre o leite cru e o leite pasteurizado
A FDA nos quer fazer crer que a pasteurização do leite nos protege contra os agentes patogênicos mortais contidos no leite cru. O fato, no entanto, é que, se as vacas são criadas em meio à natureza (soltas no pasto e alimentadas com boas pastagens), não há necessidade de processar o leite que esses animais saudáveis ​​produzem.
No entanto, as vacas criadas em sistemas de confinamento com alimentação concentrada (CAFOs) NÃO são criadas de uma maneira que faça com que seu leite seja adequado para consumo in natura.
As vacas do sistema CAFO são normalmente criadas com rações ricas em proteína, à base de soja, em vez de capim verde e fresco ou de pastagem ao ar livre, elas são mantidas em locais apertados, forrados com o próprio esterco durante o dia todo. Estas condições são perfeitas para a proliferação de doenças, e este leite sim deve ser pasteurizado para que seu consumo seja seguro. Essas vacas também precisam de muito antibióticos para mantê-las saudáveis, e algumas recebem hormônios de crescimento geneticamente modificados (rBGH) para aumentar a produção de leite. Nem precisa dizer que esses hormônios e antibióticos acabam migrando para o leite.

Além da forma em que as vacas são criadas, o que altera significativamente a constituição do leite que produzem, a pasteurização acarreta outros problemas, uma vez que:
* Transforma a estrutura física das proteínas do leite e altera a forma da configuração dos aminoácidos em uma coleção de proteínas não-funcionais, de forma a serem altamente alérgenas.
* Destrói as bactérias úteis, ​​encontradas naturalmente no leite e reduz drasticamente o conteúdo de micronutrientes e vitaminas.
* Incentiva o crescimento de bactérias nocivas, e transforma o açúcar (lactose) natural do leite em beta-lactose. Beta-lactose é rapidamente absorvido pelo corpo humano, causando o retorno da fome logo após o consumo de um copo de leite – especialmente em crianças.
* Transforma em insolúvel a maior parte do cálcio encontrado no leite cru, o que pode levar a uma série de problemas de saúde em crianças, entre elas o raquitismo e os dentes ruins.
* Destrói cerca de 20 por cento do iodo disponível no leite cru, o qual pode causar prisão de ventre.
* Quando o leite pasteurizado também é homogeneizado (que é o caso do UHT), uma substância conhecida como xantina oxidase é criada. Este composto pode desempenhar um papel no estresse oxidante, agindo como um radical livre em seu corpo.

Leite cru oriundo de vacas limpas, saudáveis, alimentadas com capim não tem qualquer comparação com o leite pasteurizado CAFO. Está cheio de nutrientes, dos quais seu corpo se baseia, incluindo:
*Saudáveis bactérias benéficas;
*Ácido linoleico conjugado (CLA) anticancerígeno;
* Valiosas enzimas, tais como fosfatasse, a qual ajuda na absorção do cálcio pelos ossos, e a enzima lípase, que ajuda a hidrolisar e absorver gorduras;
* O saudável não oxidado colesterol;
* Manteiga natural, que sem isto o seu corpo não pode utilizar eficazmente as vitaminas e os minerais do leite;
* É também sua melhor fonte de vitamina A, e contém fortes propriedades anticancerígenas;
* Alta quantidade de Omega-3 e baixa quantidade de Omega-6, que é a relação ideal entre essas duas gorduras essenciais.

Comprar leite cru direto da fazenda
Não é incomum que as pessoas que bebem leite cru relatem melhora ou desaparecimento de problemas de saúde – desde alergias a problemas digestivos e problemas de pele como eczema. No entanto, é importante entender que o leite que você bebe só é saudável se a vaca que o produziu também o for. Então, certifique-se que sua fonte de leite cru seja uma fazenda limpa, asseada e bem administrada, que mantém suas vacas com acesso ao pasto.

Se você está pensando em comprar leite a partir de um pequeno agricultor, o que seria o ideal, sábio também seria visitar a propriedade pessoalmente. Olhe ao redor e procure saber:
1. Se o agricultor e sua família bebem o leite?
2. Há quanto tempo ele vem produzindo leite cru?
3. São as vacas limpas?
4. Em que condições as vacas são criadas?
5. Há algum problema evidente de saneamento?
No Brasil a alimentação ideal para as vacas durante os meses secos do inverno, é à base de rolão de milho, fenos, capim fresco picado (cana, colonião, tanzânia, napier e outros), silagem feita por processo anaeróbico de gramíneas com leguminosas, aproveitamento de alguma produção na propriedade de verduras, feijão guandu, algarobeira, mandioca, palma e muitos outros. E o mais importante, que os animais passem o máximo tempo possível soltos no pasto, mesmo seco.
Infelizmente nas grandes cidades é quase impossível o fornecimento desse produto.

Leite orgânico cru – Uma excelente fonte de minerais bio-disponíveis favoráveis aos dentes
O Dentista Dr. George W. Heard observou em seu livro que se pode baixar gratuitamente chamado “Man Versus Toothache” que leite CRU de vacas que pastaram em capim rico em minerais e oligoelementos, constitui excelente fonte de todos os nutrientes necessários para manter e restaurar a integridade dentária, enquanto que o leite pasteurizado perdeu todos os valores de proteção e construção dentária (como provavelmente todos os outros valores terapêuticos).

Um dentista que verdadeiramente se importava sobre os dentes das pessoas
Baseado em observações pessoais e histórias sobre casos dentários coletados em décadas de prática odontológica, o livro do Dr. Heard “Man Versus Toothache” verdadeiramente torna bem claro que parecem haver mundos de diferença em valor terapêutico entre o leite orgânico cru e o pasteurizado, como também leite de vacas que se alimentam de pastagens ricas em minerais (incluindo flúor natural, que não deve ser confundido com flúor perigoso) e aquelas que pastam em terras menos férteis (ou que consumem alimentos de qualidade inferior). O livro do Dr. Heard também contém numerosas fotografias que ilustram belamente seu ponto de vista de que uma dieta natural rica em minerais e complementada por leite cru, rico em minerais, pode tanto reverter a cárie dentária como conservar os dentes saudáveis por muitas décadas, até mesmo em pessoas que nunca usaram uma escova de dentes!
Na verdade, o eminente proponente da Escola Naturopática de Natural Hygiene , Dr. Herbert M. Shelton, dedica muito espaço em seu livro, Orthotrophy à grande diferença nos valores terapêuticos existentes entre o leite cru e o pasteurizado.
Assim, se você usa laticínios, o esforço para encontrar leite orgânico cru da mais alta qualidade pode valer a pena, principalmente no verão, quando as vacas orgânicas tendem a pastar fora.

Onde você encontra leite cru orgânico?
Uma ótima dica para quem fala inglês no mundo é o sítio www.realmilk.com/where-other.html que informa sobre fontes de leite cru no Canadá, Chile, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Bélgica, Dinamarca, Europa do Leste, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Suíça e Reino Unido, como também www.realmilk.com/where5.html que oferece uma ampla lista de fazendas que produzem leite cru, em todos os estados dos EUA.
Leia também: 5 Alimentos que Você Deve Comprar Sempre Orgânicos


Mais informação sobre os benefícios do leite cru x pasteurizado
Se você lê em inglês, veja, por exemplo, www.realmilk.com/enzyme.html. Um debate e comparação sobre a questão do leite cru versus pasteurizado pode ser encontrado em realmilk.com/rawvpasteur.html e resumos sobre os efeitos da pasteurização no valor nutricional do leite em realmilk.com/abstractsmilk.html.
Leia mais:
Álcool Etílico é Encontrado em Leite de Mais uma Cooperativa

Álcool Etílico é Encontrado em Leite de Mais uma Cooperativa



Empresários são Presos por Adicionar Produtos Cancerígenos ao Leite

Empresários são Presos por Adicionar Produtos Cancerígenos ao Leite



Parmalat e Líder Farão Recall de 300 mil Caixas de Leite com Formol NN

Parmalat e Líder Farão Recall de 300 mil Caixas de Leite com Formol



Fontes:
 Ovelha de Batom: Porque o Leite Cru é Perseguido Se é Infinitamente Mais Seguro?
Infowars: WHY IS THIS “UNSAFE” FOOD BANNED WHEN IT’S 35,000 TIMES SAFER THAN OTHERS?
Real Milk: ENZYMES
– Real Milk: RAW MILK VS. PASTEURIZED MILK
– Real Milk: ABSTRACTS ON THE EFFECT OF PASTEURIZATION ON THE NUTRITIONAL VALUE OF MILK
– Real Milk: OTHER COUNTRIES
Real Milk: THIS IS SOMEWHAT EMBARRASSING, ISN’T IT?

12 Substâncias Ocultas que Envenenam o Cérebro das Crianças!

Pesquisa alerta para “epidemia silenciosa” de problemas neurológicos causados por substâncias do cotidiano que “corroem a inteligência e perturbam o comportamento” dos pequenos
Autismo, déficit de atenção, dislexia, paralisia cerebral…A lista de problemas neurológicos que afetam milhares de crianças em todo o mundo é tão extensa quanto as ameaças ocultas do cotidiano que podem deflagrar essas disfunções.
Estudo publicado nesta semana na revista científica The Lancet Neurology alerta para “epidemia silenciosa” de perturbações neurológicas infantis causadas por substâncias invisíveis presentes em roupas, móveis e brinquedos.
Segundo a pesquisa, feita pela Escola de Saúde Pública de Harvard e a Escola de Medicina Monte Sinai, em Nova York, a lista de químicos que, reconhecidamente, afetam o cérebro dos pequenos duplicou nos últimos sete anos, saltando de seis para doze.
São produtos químicos tóxicos que “silenciosamente corroem a inteligência, perturbam o comportamento, e minam as conquistas futuras das crianças, principalmente nos países mais pobres, que têm pouca regulamentação a respeito dessas substâncias”, avaliam os autores do texto, Philippe Grandjean e Philip J Landrigan.
Eles consideram que mesmo as atuais regulamentações dos químicos são inadequadas para proteger as crianças, cujos cérebros em desenvolvimento são particularmente vulneráveis aos produtos tóxicos presentes no ambiente.

Chumbo

As principais formas de contaminação pelo chumbo se dão pela ingestão de alimentos ou água contaminados e por inalação de partículas de poeira da substância.
A exposição ao chumbo na infância está associada ao desempenho escolar reduzido e com comportamento deliquente no futuro. Segundo o estudo, não existem níveis seguros de exposição a essa substância.

Tolueno ou metil benzeno

Esta substância caracteriza o que ficou popularmente conhecido no Brasil como cola de sapateiro, apesar de estar presente em outros tipos de colas, como as utilizadas na marcenaria.
Ela também é usada como solvente, em pinturas, revestimentos, borrachas e resinas. A exposição materna ao tolueno tem sido associada a problemas de desenvolvimento cerebral e déficit de atenção na criança.

Metilmercúrio

A exposição ao metilmercúrio, que afeta o desenvolvimento neurológico do feto, muitas vezes vem de ingestão materna de peixe que contém altos níveis de mercúrio. Segundo o estudo, a vulnerabilidade do cérebro em desenvolvimento à toxicidade do metilmercúrio é muito maior que a do cérebro adulto. Os efeitos perduram por anos.
Problemas apresentados por crianças aos sete anos de idade ainda eram detectáveis com a idade de 14 anos. Outros exames em pessoas expostas no pré-natal a quantidades excessivas de metilmercúrio mostraram ativação anormal de regiões do cérebro em resposta a tarefas de estimulação sensorial e motora.

Bifenilos policlorados – PCBs

Esta família de produtos químicos tem sido rotineiramente associada à função cognitiva reduzida na infância. Muitas vezes, estão presentes em alimentos, principalmente peixes, carnes e lácteos contaminados, e podem ser repassadas ao bebê pelo leite materno. Essas substâncias também são encontradas em aparelhos elétricos velhos, onde agem como isolantes térmicos.

Éteres de difenila polibromados (PBDEs)

O grupo de compostos conhecidos como polibromados éteres difenil (PBDE) são amplamente utilizados como retardadores de chama, para proteger móveis, tapetes e roupas.
Experimentos sugerem que os PBDEs também podem ser neurotóxicos. Estudos epidemiológicos na Europa e nos EUA têm
mostrado déficits de desenvolvimento neurológico em crianças com aumento da exposição pré-natal a estes compostos.
Spirulina ôrganica pelo meno preço na Tudo Saudável

Tetracloroetileno ou percloroetileno

Em Massachusetts, nos Estados Unidos, uma pesquisa com crianças que foram expostas no pré-natal ao percloroetileno em água potável mostrou tendência para deficiências na função neurológica e risco aumentado de diagnósticos psiquiátricos.
O tetracloroetileno é um líquido incolor e volátil à temperatura ambiente. É usado como desengraxante de peças metálicas, em lavagens a seco, na indústria têxtil, e produtos de limpeza e de borracha laminada.

Bisfenol A ou BPA

O BPA é um composto usado na fabricação de policarbonato, que é utilizado na produção da maioria dos plásticos rígidos e transparentes, e também na produção da resina epóxi, que faz parte do revestimento interno de latas que acondicionam bebidas e alimentos.
Em 2011, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu proibir, no Brasil, a venda de mamadeiras de plástico que tenham a substância. O BPA pode enganar o corpo e fazê-lo pensar que é hormônio real. Na literatura média, tem sido associado à diversos tipos de câncer e problemas reprodutivos, além de obesidade, puberdade precoce e doenças cardíacas.

Clorpirifós e DDT (pesticidas)

Estes inseticidas estão ligados a anormalidades no desenvolvimento neurológico em crianças. Eles são proibidos em muitas partes do mundo, mas ainda utilizados em muitos países de baixa renda. Estudos recentes também o relacionam à doença de Alzheimer. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu, em 2004, a industrialização, produção, distribuição, comercialização e entrega de inseticidas de uso doméstico e em ambientes coletivos à base do princípio ativo clorpirifós. O DDT foi banido nos EUA na década de 70, mas ainda é usado em alguns países. No Brasil, o uso do DDT foi proibido em 2009.

Fluoreto

Eles está presente em cremes dentais e anti-sépticos bucais para prevenir cáries, mas também é adicionado em inseticidas e venenos para ratos. Um dos usos que ganhou fama nos anos 1960 foi o de adicionar a substância em água, sob a crença de que a prática fortaleceria a saúde bucal. Mais de 27 estudos com crianças expostas a níveis elevados de flúor na água potável, principalmente da China, sugerem um decréscimo médio de QI de cerca de sete pontos.
Água fluoretada, uma Herança Nazista
[FILME] A Farsa do Flúor – (The Fluoride Deception)
Como Fazer em Casa sua Própria Pasta de Dente Natural

Ftalatos

Todo os dias, milhões de células no nosso corpo morrem, e isso é perfeitamente saudável. Estudos têm mostrado, no entanto, que químicos chamados ftalatos também podem desencadear a “sinalização da morte” em células testiculares, fazendo-as morrer mais cedo do que deveriam.
Comumente usados para dar mais flexibilidade aos plásticos, os ftalatos podem ser encontrados por todos os lados – na cortina do box do chuveiro, em cabos elétricos, na cobertura do chassi do carro e nos plásticos das portas. Outros estudos ligam os ftalatos a alterações hormonais, defeitos congênitos no sistema reprodutor masculino, obesidade, diabetes e irregularidades da tireoide.

Arsênico

O arsênico é largamente empregado em processos de fundição de metais e na conservação de madeira. Em seu estado elementar, é um material cinza sólido, frequentemente encontrado no meio ambiente combinado com outros elementos. Seus compostos geralmente formam um pó branco ou incolor que não tem cheiro ou sabor, o que dificulta identificação do tóxico em alimentos, na água ou na atmosfera.
Exposições pré-natal e pós-natal ao arsênico em água potável contaminada estão associados com déficits cognitivos em crianças com idade escolar e risco elevado de doença neurológica durante a vida adulta.
Estudo Sugere que Água Engarrafada Contém Mais de 24 mil Substâncias Químicas

Manganês

Um estudo feito em Quebéc, no Canadá, expôs uma relação forte entre a concentração de manganês nos cabelos das crianças e hiperatividade. Pequenos em idade escolar que viviam próximo a áreas de mineração e processamento do minério demonstraram diminuição da função intelectual, deficiência em habilidades motoras e redução da função olfativa.
Presente na água potável em Bangladesh, por exemplo, este produto químico, usado para fabricação de aço, tem sido associado à baixo desempenho em matemática, função intelectual diminuída e déficit de atenção.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

MAIS UMA MÉTODO PARA CONTROLAR OS ALIMENTOS EM TODO O PLANETA!


OPINIÃO ANDRÉ DE MORAES:

O livro do Apocalipse é o mais difícil de entender da bíblia, com sua linguagem figurada, sua simbologia e profecias, que muitas das vezes requer interpretação do Espírito Santo para se entender, fica algo além da compreensão humana!
Mas com o passar dos aos o aproximar do final dos tempo, vamos descobrindo da pior maneira possível a interpretação das coisas escritas pelo apóstolo João.
Anos atas tomei conhecimento dos produtos transgênicos e empresas como a Monsanto, Dupont e Bayer e recentemente fiquei sabendo de coisas piores do que os trangênicos: as sementes chamadas de “terminator”.
O nome por si só já causa medo, suas complicações comprovam o temor e a preocupação com o futuro de nossos filhos e netos e, creio eu, com o nossos também, pois que veremos e participaremos efetivamente dessas situações as quais temo hoje.
Agora consigo entender como o anticristo irá controlar toda a alimentação do planeta, como haverá fome e guerras, mortandade a níveis aterrorizadores!

O texto a seguir irá mostrar o que essa iniciativa irá culminar:

“E, havendo aberto o terceiro selo, onvi dizer o terceiro animal: Vem,  vê. E olhei, e eis um cavala preto e o que sobre ele estava assentado tinha UMA BAÇANÇA EM SUA MÃO.
E ouvi uma voz n omeio dos quatro animais, que dizia: “Uma medida de trigo por um denário, e três medidas de cevada por um denário; e não danifiqueis o azeite e o vinho.
E, havendo aberto o quarto sele, ouvi a voz do quarto animal, que dizia: Vem, e vê.
E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado o PODER para matar a quarta parte da terra, com espada,  com FOME, e com peste, e com as feras da terra.” Apocalipse 6:5-8.

Creio que ser esse o método usado para controlar a alimentação no mundo, causar a fome e as mortes em todo o planeta.
 As denominações precisam mostrar isso ao seu povo e alertar pessoa por pessoa para que estejam preparados para o piro no futuro, ou irão perder a salvação!

SE PREPAREM PARA UM PÉSSIMO FUTURO!

"E pelo seu entendimento também fará prosperar o engano na sua mão; e no seu coração se engrandecerá, e destruirá a muitos que vivem DESPREOCUPADAMENTE...." DANIEL 8:25.



Brasil pode ser o primeiro País a liberar semente Terminator
Projeto de lei avança no Congresso e pode disseminar sementes propositalmente estéreis produzidas por multinacionais
http://www.cartacapital.com.br/sustentabilidade/brasil-pode-ser-o-primeiro-pais-a-liberar-semente-terminator-9110.html
Cleverson Beje/FAEP
sementes
As Terminator são sementes modificadas geneticamente para ficarem estéreis a partir da 2ª geração

Grupos de lobby costumam se aproveitar de governos enfraquecidos, e o Brasil não é exceção. Em meio à atual crise política, a bancada ruralista no Congresso se movimenta para aprovar um projeto de lei que modificaria a Lei de Biossegurança. Se aprovado, o PL 1117 fará do Brasil o primeiro país no mundo a legislar em favor do cultivo comercial de plantas propositalmente estéreis, afrouxando a proibição às chamadas sementes Terminator.
Ambientalistas acreditam que o PL, hoje avançando no Congresso com pouca discussão, representa uma das maiores ameaças de todos os tempos à biodiversidade brasileira.
A intenção da bancada ruralista não é nova. Desde a aprovação da Lei de Biossegurança em 2005 esses parlamentares tentam liberar o cultivo de plantas Terminator. A diferença desta terceira tentativa é que nunca as chances de aprovação foram tão grandes.
O filho da ministra de Agricultura, Kátia Abreu, Irajá Abreu (PSD-TO) apresentou o primeiro projeto de lei em 2005 e hoje comanda a Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados. É nesta comissão que Alceu Moreira (PMDB-RS) apresentou o novo texto.
Gerson Teixeira, especialista em desenvolvimento agrícola e crítico da iniciativa, vê poucas chances de obstruir a aprovação: “a bancada ruralista tem um céu de brigadeiro à sua frente”.
Muito parecido com os dois anteriores, o novo PL reduz a proibição das Tecnologias Genéticas de Restrições de Uso, as GURTs, comumente chamadas de Terminator. Tratam-se de sementes transgênicas modificadas para se tornarem estéreis a partir da segunda geração. 
O projeto libera essas sementes nos casos de “plantas biorreatoras” ou plantas que possam ser “multiplicadas vegetativamente”. Plantas biorreatoras incluem qualquer planta modificada geneticamente para uso industrial -- por exemplo, para a indústria farmacêutica ou para a produção de biocombustíveis.
Plantas “multiplicadas vegetativamente” são aquelas que se reproduzem assexualmente. Essas exceções irão permitir o uso de espécies estéreis no cultivo de algumas das lavouras principais no Brasil, como cana-de-açúcar e eucalipto.
As sementes seriam também liberadas para o cultivo de plantas consideradas “benéficas para a biossegurança”. Essa linguagem vaga introduz outra brecha interessante aos produtores das sementes transgênicas. Caberia a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), onde a bancada ruralista goza de boa influência, a decisão sobre o que é “benéfico para a biossegurança”.
grãos
A nova semente pode trazer custos ao agricultor, que teria de comprar grãos para o plantio a cada safra
Ambientalistas preocupados
Os defensores dizem que essas sementes são seguras, porque as suas próprias caraterísticas, sobretudo a sua esterilidade, impediriam a sua disseminação. Os ambientalistas não concordam.
Segundo Silvia Ribeiro, diretora para América Latina do ECT (Grupo de Ação sobre Erosão, Tecnologia e Concentração), uma organização internacional de estudos ambientais e socioeconômicos, “existem relatórios científicos indicando que as GURTs não funcionarão como prometido e implicam em novos riscos”.
A EcoNexus, instituição britânica que investiga esse tipo de sementes desde 1998, não está convencida de que as Terminators não causarão contaminação.
O fato de estas sementes terem passado por modificações genéticas para serem estéreis traz preocupação quanto às consequências de uma introdução no ecossistema. Em um cenário ruim, o gene Terminator poderia se espalhar de forma imprevisível pelo Brasil, ameaçando inclusive biomas como o da Amazônia 
Teixeira é pessimista quando ao possível efeito: “essas sementes podem levar a um armagedom da agricultura brasileira”. 
Mais gastos para agricultores
Se a esterilidade das plantas se generalizar, haverá ainda consequências econômicas para os agricultores brasileiros, particularmente os pequenos. No momento, os produtores guardam sementes de quase dois-terços dos seus cultivos para plantar no ano seguinte, reduzindo consideravelmente os seus custos. 
Com o uso de sementes estéreis, há a obrigação de se comprar novas sementes todo ano.
Citando o exemplo do milho, Teixeira calcula que os agricultores brasileiros teriam que pagar R$ 1,17 bilhões por ano na compra de novas sementes, comparado ao desembolso atual de R$ 162 milhões.
Quem ganha com esse extra é o mercado de sementes, hoje dominado por multinacionais. Segundo Darci Frigo, advogado da organização socioambiental Terra de Direitos, “as multinacionais compraram praticamente todas as pequenas e médias empresas de sementes. Elas dominam a cadeia alimentar desde a produção de sementes, fertilizantes e pesticidas até a logística, transporte e exportação. Os agricultores são totalmente subordinados a esses grupos.”
Os chamados “big six” – Monsanto, Dupont e Dow (EUA), Syngenta (Suíça) e as alemãs Basf e Bayer – introduziram todos os transgênicos autorizados para cultivo comercial no Brasil.  A única empresa brasileira no setor é a estatal Embrapa.
Gerson Teixeira acredita que as multinacionais estão por trás do movimento em prol da aprovação do PL, uma vez que elas ganhariam uma espécie de “patente biológica” impedindo os agricultores de guardar as suas sementes – forçando as novas compras a cada ano.

COP 21
Em 2000, os 192 países signatários da Convenção sobre Diversidade Biológica – um tratado internacional que reconhece que a conservação da diversidade biológica é uma “preocupação comum da humanidade” – impuseram uma moratória sobre as Terminator. As empresas de biotecnologia se comprometeram a não comercializá-las.
A aprovação na Comissāo de Agricultura é só o primeiro passo. O que pode dificultar o lobby da bancada ruralista é a Conferência do Clima em Paris em dezembro. O Brasil deve apresentar seu sucesso em reduzir o desmatamento na Amazônia. O prestígio internacional vindo com este avanço, no entanto, poderia ser ofuscado pela eventual censura internacional caso o País se torne o primeiro do mundo a dar o sinal verdade para as Terminator.

* A jornalista inglesa Sue Branford foi editora para a América Latina da BBC e correspondente do Guardian em São Paulo.

FONTE: http://www.cartacapital.com.br/sustentabilidade/brasil-pode-ser-o-primeiro-pais-a-liberar-semente-terminator-9110.html

Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados do Brasil: Diga não aos exterminadores de sementes!
Contra o Projeto de Lei 268/2007 no Brasil
Na semana em que comemoramos o Dia Mundial da Alimentação, um fato extremamente grave ameaça a soberania e a segurança alimentar e nutricional em nosso país. Trata-se do Projeto de Lei (PL) n° 268/2007 de autoria do Deputado Eduardo Sciarra – PSD/PR.
Se aprovado, permitirá a produção e comercialização de sementes transgênicas suicidas, ou seja, sementes conhecidas como TERMINATOR, que após a colheita não voltam a germinar, obrigando os agricultores a comprar sementes a cada safra. Essas sementes ainda possuem alto risco de tornar também estéreis as que estejam sendo cultivadas em propriedades próximas.
O projeto está em trâmite na Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJC) na Câmara. Ele já foi aprovado na Comissão de Agricultura, mas recebeu voto contrário da Comissão do Meio Ambiente.
É MUITO IMPORTANTE que toda a sociedade se manifeste junto aos Deputados que compõem a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre os gravíssimos riscos da perda de biodiveridade do país e da insegurança alimentar que esse projeto ameaça trazer, pedindo, portanto a sua REJEIÇÃO.

Esta é uma campanha organizada por:
ActionAid Brasil
ANA – Articulação Nacional de Agroecologia
AS-PTA
Centro Ecológico
Centro Sabiá
CONTAG
Cooperativa AECIA
Cooperativa Econativa
FASE – Federação de Órgãos para a Assistência Social e Educacional
FBSSAN – Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional
FESANS/RS
Grupo ETC
GEA – Grupo de Estudo em Agrobiodiversidade
Movimento dos Pequenos Agricultores
MMTR-NE
MST 
Multirão Agroflorestal
Plataforma Dhesca Brasil
Rede de Mulheres Negras para Segurança Alimentar
Rede Ecovida de Agroecologia 
Terra de Direitos
Via Campesina Brasil

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

A NOVELA "10 MANDAMENTOS" DA EMISSORA DO FALSO BISPO O BANQUEIRO, EDIR MECEDO, É DE DEUS?

PROVANDO QUE A NOVELA 10 MANDAMENTOS É NÃO É OBRA DE DEUS!


Primeiro: É uma novela! Por si só esse nome já afastaria os verdadeiros cristãos dessa trama!

Comecemos com os bons motivos para não assistir esse lixo de novela de Macedo:

A autora da novela Os Dez Mandamentos, Vivian de Oliveira:
“A novela é muito fiel à Bíblia. Claro, a gente teve o cuidado de ser fiel aos fatos históricos mas tivemos que mudar algumas coisas para dar sustentação à trama. Afinal de contas, é uma novela, não um documentário. A gente pode usar a licença poética e fazer algumas alterações em alguns casos senão não tem o suficiente para 150 capítulos, ou às vezes fica estranho na trama, aí a gente tem que mudar”, afirmou Vivian de Oliveira"

OU SEJA, É UM ENCHER LINGUIÇA GOSPEL!

 A “novela bíblica” da TV Record ainda nem estreou e já recebeu sua própria campanha de boicote. E a iniciativa partiu do meio evangélico: o pastor Israel Gonçalves publicou uma lista de motivos para que os fiéis não assistam Os Dez Mandamentos. Em uma publicação no Facebook, Gonçalves elencou “10 razões porque a novela Os Dez Mandamentos é tão prejudicial quanto a novela Babilônia”, da TV Globo. O líder da Assembleia de Deus Ministério do Madureira, em Paragominas (PA), comparou a “novela bíblica” com a “doutrina de Balaão”: “Trata do seu conselho a balaque para que corrompesse o povo, que ele não podia amaldiçoar”.

 Dentre os motivos apontados pelo pastor estão o fato de “ser uma ‘novela’ e não uma leitura real dos textos bíblicos”, que segundo Gonçalves, “tem muitos invencionismos e mentiras”. 
  O segundo motivo seriam as “distorções e criação de histórias fictícias aos fatos bíblicos”. O pastor também chama a atenção para o fato de que a emissora do bispo Edir Macedo se valer da Bíblia Sagrada para ganhar dinheiro: “Por se vestir de algo aparentemente bíblico, quando na verdade é um produto comercial e patrocinado pelo que julgamos pecado”. Em seu quarto motivo, o pastor aproveita para atacar o público que teria sido definido como alvo pela Record: “Por tentar alvejar prioritariamente os ‘cristãos’ que não congregam e nem tem compromisso com o reino de Deus (noveleiros que deixam de estar no templo pra assistir novelas em casa)”. Em quinto lugar, Gonçalves diz que a novela usará a Bíblia mas “em ‘nada’ evangeliza ou contribui pra edificação espiritual de ninguém”, e aponta, em sexto lugar, que enquanto Babilônia é “é declarada profana, a outra ultrajada de cristã, também é”. “Enquanto uma é transmitida por um grupo na sua maioria espírita a outra será transmitida por um grupo que se esconde atrás do nome de Deus, para derramar suas mazelas na mídia”, escreveu o pastor, apontando seu sétimo motivo. Para o líder assembleiano, o oitavo motivo está no fato de que “a novela Os dez Mandamentos, tão etiquetada de ser a primeira ‘novela’ bíblica, se interessa exclusivamente em Ibope, em audiência, em te prender a cada capítulo em tua casa. Isso é briga por telespectador, aonde você é a vítima”. 
 Israel Gonçalves afirma ainda que “enquanto numa tem cenas de beijos e pares de pessoas do mesmo sexo, na ‘novela bíblica’ tem até envenenamento, traições e aborto e outras coisas mais abomináveis ainda”, e coloca essas questões como o nono motivo para que os fiéis boicotem o folhetim da Record. Por fim, o pastor diz que “se você é um servo e uma serva de Deus, use seu tempo pra servir a Deus, ninguém pode servir a dois senhores. O inimigo não está vindo de chifres e nem assombrando ninguém, ele está se utilizando da sutileza, para enganar os incautos da fé, os ignorantes bíblicos e os que perderam o primeiro amor”. Este conteúdo foi extraído do Portal da Teologia: http://www.institutogamaliel.com/portaldateologia
(Lembremos que o ministério Assembleia de Deus ministério Madureira liberou geral para que os pastores se separem a torto e a direita, contrariando o que Jesus ensinou! Será que o Pastor Israel Gonçalves vai falar sobre isso tbm? "

ANDRÉ DE MORAES: 10 MOTIVOS PELOS QUAIS EU NÃO ASSISTO A NOVELA 10 MANDAMENTOS!
1- A novela transmitida no canal comprado com dinheiro desviado de ofertas, no seu nascimento a Record já é algo fora dos padrões de Deus, e você que assistir dará patrocinará pra esse tipo de atitude;

2- A novela tira o tempo que os iurdianos deveriam ler e estudar a bíblia, já que dos evangélicos (se é que podemos considerar o iurdiano como evangélico) é o mais ignorante da palavra de Deus;

3- A novela tem interesse de gerar lucros e não de propagar o evangelho;

4- Muitos evangélicos, inclusive os da seita Universal (se é que podem ser chamados de evangélicos) sempre fizeram boicotes à rede Globo por inúmeras baixarias, mas nunca mencionaram a palavra "boicote" à rede Reord por passar tão baixa programação quanto a Globo do diabo! Agora eles vem com esse ato hipócrita de enaltecer uma novela e esquecer toda o restante da programação!

5- Racismo! Os egípcios (africanos) da novela, são todos brancos de olhos azuis e claros, real imagem dos verdadeiros egípcios da época! Um absurdo desses por si só já desabona o trabalho e continua tratando o telespectador como um completo comedor de alfafa!

Veja o quão negros são esses atores!





6- Em outros tempos os falsos pastores da seita Universal, mandaram os prosélitos iurdianos boicotarem novelas da Rede Globo por conter cenas de sexo e baixaria. Hoje, os mesmos atores e atrizes que faziam o lixo na Globo estão santificados nas novelas da Record, como é o caso de Mel Lisboa da minissérie "Presença de Anita", diabolizada pelos falsos pastores iurdianos!

 A endemoniada Anita na Globo do diabo:

A santa  mãe adotiva de Moisés Henutmir, da Rede Record, do Macedão!

7- Se a liderança iurdiana está corrompida, se seus bispos e pastores são falsos profetas e Deus não é com eles, porque apoiar a emissora deles então?

8- A eterna luta de audiência entre Globo e Record, usando para isso a massa de manobra dos dois lados. Com agravante para os iurdianos e evangélicos que dizem conhecer a palavra de Deus e cair nessa isca! Levando em consideração que os donos da Globo não usam o nome de Deus para lucrar, nem se escondem atrás da bíblia nem de religião nenhuma pra isso!
8- Se em Apocalipse está escrito: "Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhes acrescentará os flagelos escritos neste livro; e, se alguém, tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirá a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro" Apo. 22:18,19, porque aceitar uma novela que tem mais "encheção de linguiça" do que palavra de Deus de fato?
Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;
E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.
Apocalipse 22:18,19

9- Os 10 mandamentos reforça as práticas do velho testamento, os quais dão base para as práticas mais bizarras e heréticas dentro da SEITA UNIVERSAL DE UM deus! A surd não se atreve ensinar a doutrina da graça de Jesus Cristo nem o seu evangelho, verdades essas que destruiriam completamente as mentiras e heresias iurdianas!

10- E o tema em nada evangeliza e traz o povo de Deus para a realidade horrível em que está a igreja no Brasil e no mundo. Contribui sim, para o anestesiamento espiritual, frieza, acomodação e cegueira para a atual situação de apostasia que vive a maioria das denominações, encabeçada pela SEITA UNIVERSAL DO REINO DE UM deus!

PRIMEIRO A NOVELA, DEPOIS O CULTO!



Como podemos ver, a Rede Record nada mais é do que uma cópia da suja emissora Rede Globo!